sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Gravuras - parte 2

Existem vários tipos de gravura. As mais utilizadas pelos artistas são: a gravura em Metal, a Litografia, a Xilografia, o Linóleo e a Serigrafia.

A gravura em metal é o processo de  feito numa matriz geralmente de cobre,  mas também de alumínio, aço, ferro ou latão amarelo. Devido ao desgaste rápido do material, a gravura em metal tem sempre uma tiragem pequena.

A litografia é aquela em que a matriz, a partir da qual se reproduzem as cópias, é uma pedra, que é polida, e que recebe banhos corrosivos que criarão micro sulcos para reter a tinta que será impressa no papel.




 Litografia de Pablo Picasso

Na xilografia o artista "entalha" seu desenho na madeira. Técnica semelhante é o linóleo, porém, ao invés de madeira, a matriz é de material sintético.




Xilogravura de Oswaldo Goeldi

A Serigrafia é a modalidade mais recente e consiste basicamente em esticar uma tela de seda ou nylon num chassi e deixar algumas áreas vazadas e outras cobertas. A tinta passa nas áreas vazadas e não nas áreas cobertas, deixando uma estampa. Em geral, usa-se materiais fotossensíveis e trabalha-se com a luz, como na fotografia. O artista tem que fazer várias matrizes, uma para cada cor que ele pretende obter no resultado final.





Serigrafia de Caetano de Almeida



Um comentário: